Para o escoamento da safra de frutas da região do submédio do São Francisco em Pernambuco, o Aeroporto de Petrolina irá operar, até dezembro, com voos extras de aeronaves maiores. Esta semana, recebeu o primeiro pouso de uma aeronave cargueira B747-8F.

                                          Imagem

Leia também

A inteligência logística no WebSummit Portogente 2017

Com 76,3 m de comprimento e capacidade para até 136 toneladas, o avião estreou no aeroporto num voo originário de Luxemburgo com destino a Gana. A operação extra, da empresa aérea Cargolux, atende à demanda da exportação de mangas da região no pico da safra.

O terminal de logística de carga (Teca) de Petrolina possui uma das maiores estruturas de câmaras frias do Brasil e está preparado para o atendimento da demanda para exportação.

Entre janeiro e agosto de 2017, o Teca movimentou 1.738,4 toneladas de produtos para exportação, que significam 31% a mais em relação ao mesmo período do ano passado.

A operação do B747-8F em Petrolina foi possível a partir da certificação operacional emitida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) atestando a capacidade operacional do aeroporto e seu funcionamento de acordo com os critérios dos órgãos da aviação civil nacional e internacional.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s